Aquilo que não queres deixar de ler...

Morte, escola para a vida!

Estamos em véspera de mais um dia de finados, dia da comemoração de todos fiéis defuntos, dia em que a Igreja coloca como aquele em ...

domingo, maio 03, 2015

…Mãe!

No ceio de uma família
Há invariavelmente
Uma mulher uma estrela
De todas a mais luzente

Aquela outro que brilha,
noite e dia sem ocaso.
Aquela outra que gera e cria,
que acalenta em seu regaço!

Procurei uma palavra  
Não somente uma qualquer,
aquela outra com que se alinhava,
esta condição da mulher!

Escuta por isso Mãe com delicada atenção;
Aquilo que para ti estou a escrever:
É fruto do meu coração,
de cada suspiro do seu bater!
De cada migalhinha de pão,
que um dia me deste a comer!´

Mãe,
tão pura e delicada,
que meu ser um dia formou.
Mãe eterna amada,
deste filho que em si gerou!
Seu peito doce e delicado,
que o meu ser amamentou,
deixou-me por si apaixonado
quando ao mundo me entregou!

Assim eternamente vivo e viverei;
Um filho apaixonado,
pelas entranhas onde me formei.
de um ser de mãe tão delicado,

Mãe!
Quantas as vezes que te não vejo?
Quantas as vezes que te não digo?
Que amar-te é meu desejo,
que quero estar sempre contigo!

Mãe!
Se tuas dores pudesse tomar…
Tomavas todas sobre mim.
Procuraria teu ser libertar
desse sofrimento sem fim…
É duro para quem vê sofrer,
uma mãe todos os dias.
Mas não esta em mim o crer,
se não é certo já não sofrias!

Mãe,
Quantas das tuas dores sou eu?
Quantas das dores que te molestam,
são a vida deste filho teu?
E as outras que te restam
quem foi que te as deu?

Mãe,
A cada suspiro que dou
Suspira em mim um pouco ti   
Devo-te aquilo que sou
Desde o dia em que nasci!

Teu peito foi meu berço.
Teu olhar a minha luz.
Não há valor nem preço,
pra enta joia que és Tu!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...